"A Democracia e o fortalecimento do Estado de Direito são pilares fundamentais da integração regional".

2020, Roraima: Ações culturais e humanitárias da Missão Ushuaia.


Cerca de 47 famílias de refugiados venezuelanos que vivem no prédio de antigo Boa Vista Shopping, recebem nesta quarta-feira, 29, uma ação cultural e humanitária promovida pela Missão Ushuaia. 

Os imigrantes irão escrever cartas para os deputados federais que integram a Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados (CREDN).

Os refugiados também deixarão mensagem na bandeira-assinada do Brasil, a mesma que foi trazida da Venezuela, com uma mensagem escrita por Juan Guaidó.

O documentarista Dado Galvão, idealizador da missão, busca apoio de parlamentares membros da CREDN, para que seja apresentado requerimento na comissão, propondo a realização de audiência pública, onde os membros da missão pretendem entregar a bandeira-assinada do Brasil e mais de duzentas cartas escritas por refugiados venezuelanos que vivem em Boa Vista e Pacaraima, em situação de rua.

Em julho de 2019, a Missão Ushuaia - Venezuela foi reconhecida pelo Parlamento do MERCOSUL, como de interesse cultural e humanitário.


2020, Roraima: Missão Ushuaia realizará ações culturais e humanitárias no (antigo Boa Vista Shopping)


Acreditando no exercício da cidadania MERCOSUL, a Missão Ushuaia, realizará no dia (29 de janeiro, quarta-feira, 10 da manhã, no antigo Boa Vista Shopping), em Boa Vista, Roraima, mais uma ação cultural e humanitária. Cerca de (47), quarenta e sete famílias de refugiados venezuelanos que vivem no antigo shopping, irão escrever cartas para os deputados federais que integram a CREDN (Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados).


O documentarista Dado Galvão, idealizador da missão, busca apoio de parlamentares membros da CREDN, para que seja apresentado requerimento na comissão, propondo a realização de audiência pública, onde os membros da missão pretendem entregar a bandeira-assinada do Brasil e mais de duzentas cartas escritas por refugiados venezuelanos que vivem em Boa Vista e Pacaraima, em situação de rua.


Ações em Roraima, estão sendo organizadas pelo refugiado venezuelano e membro da missão Dubenson Eduardo Manzanilla, WhatsApp +55 95 99902 - 9034.

 AÇÕES EM RORAIMA 2019 


jan/20

Declaração do Grupo de Lima - Declaración del Grupo de Lima

Juan Guaidó intenta llegar a la Asamblea Nacional de Venezuela


Declaração do Grupo de Lima

Os governos da Bolívia, do Brasil, do Canadá, do Chile, da Colômbia, da Costa Rica, da Guatemala, da Guiana, de Honduras, do Panamá, do Paraguai, do Peru, de Santa Lúcia e da Venezuela, países do Grupo de Lima, condenam o uso da força pelo regime ditatorial de Nicolás Maduro para impedir que os deputados da Assembleia Nacional possam ingressar livremente na sessão, convocada para hoje, 5 de janeiro, para eleger democraticamente a sua Mesa Diretora.

A Assembleia Nacional tem o direito constitucional de reunir-se sem intimidações nem interferências para eleger o seu Presidente e Mesa Diretora, em razão do que não reconhecemos o resultado de eleição que não respeita esses direitos e que se deu sem a plena participação dos deputados que desejavam participar da sessão.

O Grupo de Lima acompanha com extrema preocupação os eventos na Venezuela e faz um apelo à comunidade internacional para trabalhar de maneira conjunta em apoio à recuperação da democracia e ao restabelecimento do estado de direito nesse país.

5 de janeiro de 2020

Declaración del Grupo de Lima

Los gobiernos de Bolivia, Brasil, Canadá, Chile, Colombia, Costa Rica, Guatemala, Guyana, Honduras, Panamá, Paraguay, Perú, Santa Lucía y Venezuela, países del Grupo de Lima, condenan el uso de la fuerza por el régimen dictatorial de Nicolás Maduro para impedir que los diputados de la Asamblea Nacional puedan acceder libremente a la sesión, convocada para hoy 5 de enero, para elegir democráticamente a su Mesa Directiva.

La Asamblea Nacional tiene el derecho constitucional de reunirse sin intimidaciones ni interferencias para elegir a su Presidente y directiva, por lo que desconocemos el resultado de una elección que vulnera esos derechos y que se ha dado sin la plena participación de los diputados que acudieron a la sesión.

El Grupo de Lima sigue con extrema preocupación los eventos que se suceden en Venezuela y hace un llamado a la comunidad internacional para trabajar de manera conjunta en apoyo a la recuperación de la democracia y el restablecimiento del Estado de derecho en ese país.

5 de enero de 2020

Fonte: Itamaraty